Discussão: Mistérios de Elêusis, Kykeon e Baubo.

Narkissos 7 meses

Fazes o que tu queres, há de ser o todo da Lei.

Em busca de uma alternativa para adaptar o ritual mystai de iniciação ao trigésimo segundo caminho, o universo, e caminhar algum passo em direção ao grau de neófito da AA, escrevo este comentário.

Gostaria de começar pelo inicio, Deméter [[Gaia]] , deusa que ocupa a posição 32 na tabela XXXIV. Esta Deusa é caracterizada em um hino de Homero, qual irei poupar comentários por enquanto, este hino era a base para um ritual qual o culto era em meados de setembro e a preparação incluía sacrifícios de animais e dias de jejum para os candidatos a iniciados. Com ramos de murta (um arbusto) nas mãos, os mystai caminhavam como se seguissem os passos da deusa Deméter em busca da filha Perséfone. Sacerdotisas carregavam objetos sagrados dentro de cestas sobre a cabeça. Ao cruzar o rio Kephisos, os mystai assistiam a encenações em que uma mulher, ou um homem em trajes femininos, representava Baubo, ser que simbolizava o divertimento. Segundo a mitologia grega, Deméter, triste pela perda da filha, só teria conseguido sorrir quando Baubo, na forma de uma velha desbocada, contou-lhe piadas, fez gestos maliciosos e levantou a roupa para mostrar a própria genitália. Em um trecho mais adiante da procissão, os mystai tomavam uma bebida supostamente alucinógena feita para a cerimônia. Sob o efeito desse misterioso líquido, eles carregavam uma estátua de Dioniso – deus grego da fertilidade, do vinho e da embriaguez – e invocavam o nome dele. Ao passarem por um segundo curso d’água, o riacho Rheitoi, os mystai eram reconhecidos como iniciados após repetirem algumas frases que descreviam todo o ritual dos Mistérios. Ao anoitecer, a procissão chegava a Elêusis para uma cerimônia num templo chamado Telesterion. Essa era a fase final e mais secreta do ritual. Sabe-se que era comandada por um sacerdote, o Hierofante. Acredita-se que a celebração misturava efeitos especiais rudimentares, como luzes misteriosas, com a exibição de falos – representações do pênis, adorado pelos antigos como símbolo da fecundidade da natureza. É possível que houvesse também a dramatização de cenas do Hino a Deméter.

Desejo experimentar este ritual, modificando-o de uma maneira que pensei anteriormente, e gostaria de saber se algum neófito pode comentar quanto aos seguintes pontos:

1- O local de peregrinação ao invés de ser o templo Telesterion seria o final de alguma trilha longa que levaria a um "templo natural" da deusa Deméter, que é a natureza em um bioma rico em vegetação, água, vento e luz solar. Algo como a chapada ou o campo.
2- Estando sozinho seria equilibrado eu mesmo encenar Baubo após a travessia do rio?
3- Alguém sabe alguma análogo do Kykeon? É indicado substitui-lo por alguma outra lisergia natural ao invocar os nomes de Dioniso?
4- em " algumas frases que descreviam todo o ritual dos Mistérios." É indicado utilizar frases do Livro da Lei?
5- "Sabe-se que era comandada por um sacerdote, o Hierofante." A falta de um membro mais experiente pode gerar algum "dano" ?

Provavelmente o resultado do ritual depende antes de tudo da vontade do iniciado, eu me encantei e me identifiquei bastante com Deméter e com os demais aspectos do ritual, acredito que a mitologia e idioma grego funcionem muito bem no meu subconsciente ( prefiro o Ruby Star por exemplo ), acima de tudo eu quero experimentar este caminho, mas pelo meu grau de iniciação temo estar caindo em alguma armadilha por desobedecer um ou mais postulados do experimento original, ou por ta querendo meia com rituais e deuses antigos sendo que o sistema fornece experimentos mais ricos em informação... Oque vocês acham? parece de alguma forma coerente ou efetivo para obter-se algum resultado positivo na jornada? =]

Perdoe-me a inexperiência, meu desejo é ir aos céus ou morrer no mar Egeu.
Ίκαρος